Digite o que você está procurando:

Make your own custom-made popup window!

Lorem ipsum dolor sit amet, consectetuer adipiscing elit, sed diam nonummy nibh euismod tincidunt ut laoreet dolore

Subscribe to our newsletter, get 10% off:

 

FAQ – Perguntas Frequentes

Gracie Elite Icaraí / FAQ – Perguntas Frequentes

O que é Gracie Jiu Jitsu?

O Gracie Jiu Jitsu é um sistema de Defesa Pessoal desenvolvido pelo Grande Mestre Carlos Gracie, na década de 20 no Brasil. Essa Arte Marcial foca em técnicas que possibilitam uma pessoa se defender de ataques de indivíduos mesmo maiores ou mais fortes. Durante os últimos 90 anos, as técnicas do Gracie Jiu Jitsu continuaram a evoluir, através de 4 gerações de uma família dedicada ao esporte. A arte marcial ensinada por Carlos na primeira Academia Gracie no Rio de Janeiro em 1925 provou desde cedo sua eficácia, podendo ser aprendida e ensinada a qualquer pessoa, independente de sua idade, sexo ou porte físico. Hoje, o Jiu Jitsu é largamente utilizado por cidadãos comuns como hobby ou esporte, lutadores profissionais, forças armadas e policiais em todo o mundo.

Há alguma diferença entre Brazilian Jiu Jitsu e Gracie Jiu Jitsu?

Não. Brazilian Jiu Jitsu é Gracie Jiu Jitsu.

Qual a história do Gracie Jiu Jitsu?

Alguns historiadores afirmam que a “Arte Suave” teve início na Índia, como um sistema de Defesa Pessoal utilizado pelos monges budistas. Preocupados com a auto defesa, os monges desenvolveram uma técnica baseada nos princípios do equilíbrio, do sistema de articulação do corpo e das alavancas, neutralizando uma agressão sem necessariamente machucar o agressor. Envolvido por importantes princípios budistas como o de agir de um modo não-prejudicial ou da busca do domínio próprio e do esclarecimento, o Jiu-Jitsu atendeu muito bem as necessidades de defesa pessoal dos monges e se espalhou por toda a Ásia em direção a China e mais tarde ao Japão, seguindo a expansão do budismo no continente. No fim do século 19, alguns praticantes de Jiu Jitsu emigraram do Japão para outros continentes, participando de exibições e competições em vários continentes. Entre eles, Mitsuyo Maeda, conhecido como “Conde Koma”. Após viajar para muitos lugares incluindo os Estados Unidos, a América Central e Europa, Maeda desembarcou no Brasil em 1914. Ao fixar residência em Belém do Pará, no ano seguinte, conheceu Gastão Gracie, de quem se tornou amigo. Gastão tornou-se um entusiasta do jiu-jitsu e levou seu filho mais velho, Carlos, então um jovem rebelde e irrequieto, para aprender a luta com o japonês. Franzino por natureza, aos 15 anos, Carlos Gracie entusiasmou-se com a capacidade de Maeda em derrotar adversários muito maiores e mais fortes com sua técnica. Foi aí que Carlos Gracie encontrou no Jiu Jitsu um meio de realização pessoal. Mas os momentos com Maeda não duraram muito tempo. Passados menos de 5 anos do dia em que começou a treinar, Carlos teve que se mudar para o Rio de Janeiro junto com seus pais e irmãos. Chegando na então capital do Brasil com 19 anos, Carlos optou pelo Jiu Jitsu como um ideal pelo qual valia a pena lutar e o adotou com força e determinação. Viajou para Belo Horizonte e depois para São Paulo, ministrando aulas e vencendo adversários bem mais fortes fisicamente. Em 1925, voltou ao Rio e abriu a primeira Academia Gracie de Jiu Jitsu, na Rua Marquês de Abrantes, nº 106. Carlos juntou seus irmãos e os envolveu em seu projeto de vida. Ele sabia que seria impossível difundir o Jiu Jitsu sozinho, e começou a ensinar os mais novos – Oswaldo (1904), Gastão (1906), George (1911) e Hélio (1913). Carlos, Gastão, Oswaldo, George e Hélio formaram a primeira geração de lutadores Gracie. Apesar de Carlos e Hélio terem se tornado muito próximos e de terem trabalhado e morado juntos por décadas, os cinco irmãos deram uma enorme contribuição para o crescimento do Jiu-Jitsu no Brasil na primeira metade do século 20. Carlos também transmitiu-lhes sua filosofia de vida e conceitos de alimentação natural, sendo um pioneiro na criação de uma dieta especial para atletas, a Dieta Gracie, transformando o Jiu Jitsu em sinônimo de saúde. Enquanto, no Brasil, o Jiu-Jitsu evoluiu para níveis de desenvolvimento técnico nunca antes alcançados na luta de chão, gerações de praticantes de outras artes marciais em todo o mundo (como Karatê, o Tae-Kwon-Do, o Muay Thai e o Judô) passaram muitos anos aprendendo um aspecto da luta (socos e chutes, quedas ou imobilizações), acreditando que isso seja suficiente em situações reais. Em 1993, esse pressuposto enfrentou seu maior desafio quando Rorion Gracie organizou o primeiro UFC nos Estados Unidos, levando ao mundo uma competição de Vale Tudo nos moldes do “Desafio Gracie” que o Grande Mestre Carlos realizava desde a década de 20 no Brasil. O mundo ficou surpreso quando um lutador mais leve e, aparentemente, mais fraco, chamado Royce Gracie, derrotou todos os seus adversários lutando basicamente no chão, utilizando-se de estrangulamentos e chaves em articulações para fazê-los desistir da luta. Os praticantes de outras artes marciais começaram, então, a perceber que se não soubessem Jiu-Jitsu Brasileiro, tudo aquilo que sabiam de luta seria inútil contra um lutador de Jiu-Jitsu. Essa percepção provocou o que muitos chamam de “Revolução do Jiu-Jitsu Brasileiro” nas artes marciais. Uma grande mudança de foco e de treinamento da luta de chão se seguiu. Um impacto como esse no universo das artes marciais causou um grande aumento na procura pelo ensino do Jiu-Jitsu no mundo todo. Ao modificar as regras internacionais do jiu-jitsu japonês nas lutas que ele e os irmãos realizavam, Carlos Gracie iniciou o primeiro caso de mudança de nacionalidade de uma luta, ou esporte, na história esportiva mundial. Anos depois, a arte marcial passou a ser denominada de jiu-jitsu brasileiro, sendo exportada para o mundo todo, inclusive para o Japão. No Brasil, o Jiu Jitsu conta com mais de meio milhão de praticantes, em mais de 1500 estabelecimentos de ensino. O país continua como um verdadeiro celeiro de campeões mundiais, seja no Jiu Jitsu, Submission ou MMA. As Rilion Gracie Academies, representantes legítimas do mais autêntico Gracie Brazilian Jiu Jitsu, estão presentes em mais de 40 cidades em 3 continentes.

O que faz de Rilion Gracie tão especial?

Existem muitos bons professores ensinando Jiu Jitsu pelo mundo, mas pouquíssimos possuem mais experiência como instrutor e técnico que Rilion. Como o mais jovem filho homem do Grande Mestre Carlos Gracie, Rilion dedicou toda sua vida a estudar e aprimorar o Jiu Jitsu desenvolvido por seu pai. Além disso, Rilion tinha seus maiores ídolos no esporte dentro da própria família: além de seu próprio pai, seu tio Hélio, e seus irmãos Carlson (o maior lutador do Brasil na década de 50) e Rolls (responsável por introduzir um grande número de técnicas que modernizaram o Jiu Jitsu na década de 70). Rilion é considerado dentro de sua própria família um dos mais técnicos professores de Jiu Jitsu da atualidade, definido por Rickson Gracie como “o melhor guardeiro da família”. Rilion é também professor, técnico e mentor de outros membros da família, como Renzo, Rolles, Igor e Roger Gracie. Apesar de treinar campeões mundiais do Jiu Jitsu e MMA, passa a maior parte do seu tempo focado em ministrar aulas para iniciantes e crianças em sua academia em Miami.

O que faz das Rilion Gracie Academies tão especiais?

Poucas academias de Jiu Jitsu no mundo possuem Programas de Treinamento tão definidos, técnicos e rigorosos como as afiliadas à Rilion Gracie Association. Embora presente em vários continentes, todas os professores membros da Associação passam por uma rigorosa seleção, devendo seguir parâmetros globais de ensino e qualidade definidos por Rilion Gracie. Além disso, Rilion sempre foi um dos grandes defensores dos valores e da filosofia do Jiu Jitsu propagados por seu pai, pelo equilíbrio entre corpo e mente, e contra qualquer tipo de violência.

O que devo esperar ao ingressar em uma Rilion Gracie Academy?

Muitos alunos esperam ingressar em uma academia de Jiu Jitsu e lutar no primeiro dia. Refletindo a tradição de seu pai Carlos e seu irmão Rolls, Rilion acredita que o aprendizado deve ser transmitido com paciência, onde aprender as técnicas mais básicas do Gracie Jiu Jitsu é mais importante que lutar com alguém nas primeiras aulas.

Eu preciso competir?

Não. Não importa se você deseja aprender Defesa Pessoal, entrar em forma ou se tornar um campeão mundial: todos os alunos são bem vindos! Embora Rilion acredite que participar de torneios de Jiu Jitsu seja uma forma interessante de testar suas técnicas e aprender ainda mais, você pode optar por competir ou não.

Mulheres e crianças podem aprender?

Claro! O Gracie Jiu Jitsu é o sistema de Defesa Pessoal que pode ser aprendido e ensinado por todos, pois foca na técnica, em detrimento do tamanho e da força.

E se eu nunca tiver treinado alguma arte marcial antes?

O mais interessante do Gracie Jiu Jitsu é que ele funciona para todos. Sua ênfase na técnica faz com que a Arte Suave seja efetiva mesmo para pessoas não naturalmente atléticas, fortes ou flexíveis. Na verdade, os torneios originais de MMA idealizados por Carlos Gracie (incluindo os primórdios do UFC) foram desenvolvidos para mostrar como relativamente pequenos e magros lutadores de Jiu Jitsu poderiam derrotar lutadores de outras artes marciais, mesmo maiores e bem treinados.

Jiu Jitsu é uma boa atividade para entrar em forma?

Claro! O Jiu Jitsu é uma atividade aeróbica que utiliza músculos de todo o corpo, como pernas, braços e abdômen. Além disso, o ambiente das Rilion Gracie Academies encorajam a adoção de um estilo de vida saudável, com uma alimentação balanceada baseada na Dieta Gracie, e desencorajando hábitos destrutivos como o uso de drogas e cigarro.